O Caminho do Arco e Flecha Japonês

Desenvolvimento das Técnicas/ESTILOS

A partir do Período das Duas Cortes (Nambokuchō, 1336-92) e atravessando da Era Muromachi (1392-1573), houve uma inovação de estilo no que concerne às técnicas de arco-e-flecha.

 Na época do Imperador Godaigo, Nagakiyo e Sadamune Ogasawara criaram e estabeleceram o método de tiro transmitido pela sociedade feudal, formando as regras de etiqueta do arqueiro a cavalo.

Depois, a família Ogasawara tornou-se instrutora do Shogun Tokugawa e sua família. Em termos de registro das técnicas, o mais detalhado é provavelmente o grande compêndio escrito por Ryōshun Imagawa.

Danjōmasatsugu Heki, pai do estilo Heki, cuja a técnica foi posta em prática e teve sua difusão nessa época. Suas técnicas foram, em seguida, passadas a Shigekata Kōzuke-no-Suke Yoshida e, então, acabaram por se dividir em dois novos estilos: o estilo Izumo e o estilo Sekka – os quais voltaram a se subdividir, este dando origem ao estilo Dōsetsu, aquele ao estilo Insai e outros mais.

Existiam muitos grandes talentos dedicando-se à arte do arco naqueles anos, pelo que as técnicas de arco-e-flecha evoluíram bastante e rapidamente. Além disso, uma outra família (afiliada aos Yoshida) também se dedicou a essa arte: o monge Tikurin desenvolveu um estilo de mesmo nome, depois consagrado por seus filhos.

Desse modo, nos cento e cinqüenta anos entre o fim da Era Muromachi e o princípio do período Tokugawa (séculos XV-XVII) muitos estilos surgiram e se desenvolveram.

Após isso, houve apenas mais dois: no período Genroku (1688-1704), o surgimento do estilo Yamato desenvolvido por Kōzan Morigawa, a quem também é creditado o uso, pela primeira vez, do termo “Kyūdō”. Esse termo está ligado à ideologia Zen-Budista.

Já na Era Meiji (1868-1912), quando Toshizane Honda cria o estilo Honda.

 

(Extraído de Kyudo Kai Brasil/RJ com adaptações)

© 2011-2015 Todos os direitos reservados a Simone Mogami e a Kyudo Kai DF.

Crie um site grátisWebnode