O Caminho do Arco e Flecha Japonês

O Arco como Disciplina do Corpo e da Mente

Já em fins da época de Ōda Nobunaga e Toyotomi Hideyoshi (XVI), começaram a ser importadas armas de fogo e o arco deixou de ser usado como instrumento de guerra.

Em verdade, esses dois generais foram os primeiros a utilizá-las com sucesso em uma batalha e, após isso, era questão de tempo até que o fato se consumasse: o arco foi preterido e quase esquecido por completo com a chegada das armas de fogo. Isso levou as técnicas de arco-e-flecha a se refinarem cada vez mais com o objetivo de disciplinar o corpo e a mente.

Dentro dessa nova perspectiva, um caso a se ressaltar é o dos torneios de tiro à longa distância (Tōshiya), em que o alvo fica a cerca de 120m e 4,9m de altura do arqueiro. Existindo desde o século XII, especialmente na forma de “torneios de resistência”, ganhou popularidade por volta do século XVI, quando no período do Shogunato Tokugawa trouxe grandes mudanças na maneira de se conceber o arco-e-flecha, pelas razões supracitadas.

O torneio no Sanjūsangendō, em Kyoto, é o maior desse tipo e ocorre desde 1165. Esses torneios duravam até um dia inteiro e cada arqueiro podia atirar centenas de flechas. Havia diferentes categorias, como a competição de doze horas, a de vinte e quatro horas, a de cem flechas e outra de mil flechas.

Além disso, mulheres também podiam participar (Era Tokugawa). Em 1606, o recorde era de 51 flechas acertadas, mas, entre 1661-88, esse número chegou a recordes inimagináveis com os casos de Shigenori Kanzaemon Hoshino e de Daihachirō Wasa.

Em 1669, Shigenori Kanzaemon Hoshino alcançou a incrível marca de oito mil acertos das 10.542 flechas que atirou. Cerca de duas décadas depois, em 1686, Daihachirō Wasa conseguiu um feito ainda mais impressionante, estabelecendo o recorde de 13.053 tiros com 8.133 acertos (uma média de 62% de acertos e um tiro a cada 6,6 segundos). O torneio de Sanjūsangendō ainda acontece, mas agora suas categorias são diferentes e as provas duram menos tempo.

No tiro à longa distância é preciso atirar rapidamente, logo os métodos e instrumentos usados são diferentes. Por exemplo, atira-se sentado e o arco não deve rodar na mão após o tiro (hoje, existe uma luva mais grossa no dedão usada no Tōshiya que consegue impedir o giro sem exigir tanto do arqueiro, no entanto essa luva é uma invenção moderna).

(Extraído de Kyudo Kai Brasil/RJ com adaptações)

 

© 2011-2015 Todos os direitos reservados a Simone Mogami e a Kyudo Kai DF.

Crie um site grátisWebnode